28 de jun de 2010

E que venha a Holanda

Depois da atuação apagada no empate com Portugal, o Brasil entrou em campo para decidir uma vaga nas quartas de final contra um velho conhecido do técnico Dunga. Sob o comando do treinador, a seleção brasileira antes de entrar no gramado do Ellis Park, em Joanesburgo, tinha somado cinco vitórias consecutivas contra o Chile.

Os desfalques de Elano e Felipe Melo não preocuparam a seleção. Ao contrário. Os substitutos Daniel Alves e Ramires deram conta do recado.

O começo do jogo foi amarrado, com as duas equipes se respeitando muito. Ninguém queria se arriscar, por isso o equilíbrio da partida.

Um lance de bola parada abriu caminho para o Brasil se soltar. Juan aproveitou a cobrança de escanteio e fez o primeiro.

A zaga se portava bem desde o apito inicial. Com 1 a 0 no placar, o ataque também passou a funcionar melhor. Luis Fabiano recebeu livre. Goleador quando fica cara a cara com o goleiro, agente já sabe no que vai dar. Antes de balançar a rede, Fabuloso deixou o goleiro chileno no chão com um lindo drible.

Robinho foi eleito o melhor jogador em campo. A escolha ganhou peso depois do golaço que o atacante marcou. O chute certeiro definiu o marcador.

O sexto triunfo seguido contra o Chile foi em grande estilo. Vitória para crítico nenhum botar defeito.

O Brasil soube aproveitar as oportunidades de gol, com inteligência e sem correr riscos, administrou o resultado até o árbitro encerrar a partida.

Na sexta-feira às 11 horas, Brasil e Holanda entram em campo para decidir quem avança para a semi-final. Novamente as seleções se encontram em um Mundial com a expectativa de um grande clássico.

Preparem as vuvuzelas!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário