16 de set de 2010

Timão rumo ao topo

Depois dos jogos de ontem, a manchete de destaque é a polêmica envolvendo Neymar e o técnico Dorival Júnior. Prefiro deixar de lado esse assunto. O futebol é muito mais que a rebeldia de um garoto de 18 anos que está se achando o rei da cocada preta.

No que realmente interessa, o Corinthians jogou muita bola contra o Fluminense. Embora tenha sido atacado constantemente, teve o controle do jogo o tempo todo.

Mesmo sem Ralf, principal marcador da equipe, o Fluminense foi neutralizado no meio campo, que, aliás, é o setor mais criativo do, até então, líder do campeonato. Conca e Deco jogaram bem, mas não o suficiente para levar o Flu ao empate.

Vitória merecida e de extrema importância para o Timão, que a cada partida mostra estar no caminho certo, e que não ocupa a 2ª colocação com um jogo a menos, à toa.

A maneira com que esse time vem atuando me lembra aquele de 2009 que venceu a Copa do Brasil e o Paulistão. É um time que vai pra cima, que marca bem, que joga fácil e confiante. Enfim, com postura de campeão.

A derrota para o Grêmio em casa foi só um detalhe, nada para se preocupar, já que o time pressionou o tempo todo. Futebol tem disso também, tem dia que a bola não entra, mais nem com reza brava.

Vale destacar a atuação de Jucilei. Já não é de hoje que ele apresenta um futebol de encher os olhos. Infelizmente por ter tomado o terceiro cartão amarelo está fora do confronto contra o Prudente na próxima rodada.

E ontem até o Palmeiras ganhou. Quem diria que a equipe do Felipão iria surpreender o Grêmio dentro do Olímpico. Muito bom!!!

13 de set de 2010

Vai entender o futebol...

A cada dia que passa o futebol fica mais interessante!

Entre os quatro grandes de São Paulo, o pior colocado na tabela que está passando por um momento ruim foi o único que não saiu de campo derrotado.

O Corinthians perdeu a invencibilidade no Pacaembu para o Grêmio que, até então, não tinha vencido longe do Olímpico.

O São Paulo, que vinha em ascensão, caiu diante do embalado Botafogo de Loco Abreu.

Em Santa Catarina o Peixe também foi derrotado na partida polêmica contra o Avaí.

Mesmo assim o mais criticado foi o Palmeiras, que não perdeu, mas também não somou três pontos.

O jogo contra o Vasco foi, talvez, o pior de todo campeonato. Uma partida que não tem chute a gol, muito menos jogadas bonitas, só pode acabar em 0 a 0 mesmo.

Mas que fase que esse time está passando viu! Nada da certo!

3 de set de 2010

Boa Tricolor!

(Foto: Vipcomm)

Foi sofrido. Mas o São Paulo venceu o mesmo Atlético-GO que goleou o rival Palmeiras há alguns dias atrás no Pacaembu.

Das últimas cinco partidas, o Tricolor empatou quatro e perdeu uma. Ontem no Morumbi, finalmente o torcedor voltou a sentir o gostinho da vitória.

Depois que Xandão abriu o placar, os goianos chegaram ao empate. Pronto! Mais uma vez aquela sensação incômoda para os são paulinos. Certamente todos pensavam “meu Deus do céu, a fase ta ruim mesmo”. Só que ninguém imaginava que um jogador que nem estava sendo relacionado nas últimas partidas pudesse salvar a noite.

Dagoberto entrou no segundo tempo para marcar o gol da tão esperada vitória. Na comemoração, o desabafo. Aquela expressão de quem diz “Viram só!? Eu sou f....”. Um gol na hora certa, talvez no momento mais difícil do jogador no São Paulo. Um gol que da moral, que da motivação para continuar trabalhando, que faz o jogador retomar a confiança.

E de quebra, aquele alívio. A zona do rebaixamento que estava tão perto, deu uma distanciada.

Não me surpreenderia se o São Paulo desse aquelas arrancadas, como aconteceu em anos anteriores. Jogadores de qualidade o elenco possui, é só acertar. Ainda mais agora que as outras equipes começam a apresentar sinal de desgaste na competição. O Fluminense é o maior exemplo, pois é líder. O time que não perdia para ninguém, não vence a três jogos.

Já o Santos, esse sim, é só alegria. Na Vila Belmiro mais uma vitória e a esperança de chegar a “tríplice coroa” em 2010. O time já é o 3º colocado.

Em meio a polêmicas envolvendo Neymar, que segundo o técnico Antônio Lopez, teria ofendido os jogadores do Avaí, dizendo que era milionário, o que não é nenhuma mentira, diga-se de passagem, o alvinegro praiano bateu a equipe de Santa Catarina por 2 a 1.

2 de set de 2010

Aquele famoso empate com sabor de vitória



Me parece que o Felipão está, finalmente, conseguindo acertar a equipe do Palmeiras. Mesmo com um esquema tático que o torcedor não admira muito, o Verdão está conseguindo se acertar.

Com três zagueiros, cinco homens no meio campo, mais adiante, Valdívia como o responsável por fazer a bola chegar no Kleber, único atacante. É assim que o Palmeiras mostrou saber jogar.

Mais preocupado em se defender, o gol que o time sofreu ontem diante do Fluminense foi inadmissível. Primeiro que deixou o Washington fazer o que quis, depois, três zagueiros não deram conta de marcar um atacante que estava livre dentro da pequena área.

A falha só não ficou pior porque Ewerthon saiu do banco para igualar o placar já nos acréscimos.

Aliás, gol merecido, que o Palmeiras buscou durante todo o jogo. Pelas circunstâncias, o empate até que valeu. Mas se for analisar os lances da partida, o time de Palestra Itália bem que merecia sair com os três pontos.

Esteve com a bola dominada durante a maior parte do tempo. O Tricolor Carioca chegou poucas vezes com perigo ao gol de Marcos.

O problema é que às vezes falta qualidade no toque de bola. O craque do time, Valdívia, jogou muito mal. O Palmeiras depende muito de seu talento. Isolado lá na frente, o Gladiador, como sempre, brigou bastante, só que tinha pelos menos dois adversários o marcando cada vez que pegava na bola.

Apesar do jogo ter sido meio chato, deu para ver que o Palmeiras está tomando um rumo e que o Fluminense está longe de ser um bicho de sete cabeças.

1 de set de 2010

PARABÉNS TIMÃO


No dia em que uma das principais equipes do país comemora 100 anos, eu não poderia de registrar aqui uma homanagem.
O que seria do futebol sem o Coringão. Desde seus primeiros anos de vida até hoje, quanta gente já sorriu, quanta gente já chorou, quantos xingaram, quantos aplaudiram esse gigante em campo.
Das arquibancadas, o apoio constante. A origem histórica do corinthiano poder soltar um grito de campeão ou comemorar uma vitória depois de muito sofrimento fez com que esse clube se tornasse o segundo maior do Brasil.

Parabéns Corinthians. Parabéns ao bando de loucos que nunca o abandona.