28 de jun de 2010

E que venha a Holanda

Depois da atuação apagada no empate com Portugal, o Brasil entrou em campo para decidir uma vaga nas quartas de final contra um velho conhecido do técnico Dunga. Sob o comando do treinador, a seleção brasileira antes de entrar no gramado do Ellis Park, em Joanesburgo, tinha somado cinco vitórias consecutivas contra o Chile.

Os desfalques de Elano e Felipe Melo não preocuparam a seleção. Ao contrário. Os substitutos Daniel Alves e Ramires deram conta do recado.

O começo do jogo foi amarrado, com as duas equipes se respeitando muito. Ninguém queria se arriscar, por isso o equilíbrio da partida.

Um lance de bola parada abriu caminho para o Brasil se soltar. Juan aproveitou a cobrança de escanteio e fez o primeiro.

A zaga se portava bem desde o apito inicial. Com 1 a 0 no placar, o ataque também passou a funcionar melhor. Luis Fabiano recebeu livre. Goleador quando fica cara a cara com o goleiro, agente já sabe no que vai dar. Antes de balançar a rede, Fabuloso deixou o goleiro chileno no chão com um lindo drible.

Robinho foi eleito o melhor jogador em campo. A escolha ganhou peso depois do golaço que o atacante marcou. O chute certeiro definiu o marcador.

O sexto triunfo seguido contra o Chile foi em grande estilo. Vitória para crítico nenhum botar defeito.

O Brasil soube aproveitar as oportunidades de gol, com inteligência e sem correr riscos, administrou o resultado até o árbitro encerrar a partida.

Na sexta-feira às 11 horas, Brasil e Holanda entram em campo para decidir quem avança para a semi-final. Novamente as seleções se encontram em um Mundial com a expectativa de um grande clássico.

Preparem as vuvuzelas!!!!!!

21 de jun de 2010

Brasil já está entre os 16 melhores

A vitória convincente diante da Costa do Marfim garantiu a vaga da seleção brasileira na próxima fase do Mundial. Só resta saber se a classificação será em primeiro ou segundo lugar no Grupo G.

A goleada que Portugal aplicou a pouco sobre a Coréia do Norte de 7 a 0, praticamente garantiu nossos colonizadores nas oitavas. Na sexta-feira Portugal e Brasil, de olho no Grupo H, se enfrentam para decidir o destino das duas seleções no decorrer da Copa.

O resultado de 3 a 1 ao nosso favor, elevou a moral da contestada equipe comandada pelo técnico Dunga, e principalmente, passou confiança para o torcedor.

O fato de Kaká e Luis Fabiano terem jogado bem, prova que o Brasil é a equipe a ser batida nessa Copa. O meia ainda pode melhorar e lá na frente, o Fabuloso fez o que se espera dele. O resultado poderia ter sido mais extenso se Robinho também estivesse num dia inspirado.

No setor defensivo, o único vacilo custou caro. Didier Drogba sozinho na área, é sinônimo do que aconteceu, gol.

A expulsão injusta de Kaká e a não expulsão de pelo menos dois jogadores da Costa do Marfim pelas entradas criminosas em Michel Bastos e Elano, que teve que abandonar a partida, compensaram o gol que Luis Fabiano marcou depois de usar a mão duas vezes na mesma jogada.

A superioridade da seleção brasileira foi visível durante todos os 90 minutos. Diferente do primeiro jogo, este foi mais aberto. A Costa do Marfim resolveu sair para o jogo, ao invés de ficar recuada, como fez a Coréia do Norte, por isso o Brasil jogou melhor e conseguiu mostrar seu potencial.

Confesso estar ansioso para ver quem entrará no lugar de Kaká. As opções são várias. Júlio Baptista ou Daniel Alves podem entrar direto no meio campo. Robinho pode ser recuado e Nilmar fazer a dupla de ataque com Fabuloso. Até sexta-feira, Dunga terá que decidir, e nós, que aguardar!

18 de jun de 2010

A zebra está à solta

Depois da Suiça me surpreender após a suada vitória de 1 a 0 contra a Espanha. Hoje foi a vez da Sérvia mostrar que a zebra está presente na África do Sul.

A Alemanha fez a melhor estreia da Copa do Mundo, atropelou a Australia. Bastou para o mundo inteiro apontá-la como a seleção mais forte do Mundial e coloca-la como favorita.

Os palpites para uma vitória alemã, eram quase que unânimes. Nem mesmo os torcedores sérvios acreditavam em um resultado positivo.

Porém, a Copa do Mundo não permite falhas. A Sérvia, que vacilou contra Gana, mas que não tem nada de boba, ao contrário, possui alguns jogadores de muita qualidade, como Vidic do Manchester United e Stankovic da Inter de Milão, não se importou com o dia ruim dos alemães.

Aliás, se portou muito bem, principalmente no segundo tempo. O gol de Jovanovic no final da primeira etapa, deu tranquilidade aos Sérvios, que não deram brecha na marcação e quase que ampliam o placar.

Se bem que a expulsão injusta de Klose e o pênalti desperdiçado por Podolski contribuíram para a vitória da seleção Sérvia.

Pois é minha gente, esse foi mais um jogo que prova que o futebol pode nos surpreender a qualquer momento.

16 de jun de 2010

Com placar apertado, Brasil vence na estreia

Estou desconfiado sobre a tradução da entrevista do técnico da Koréia do Norte. Antes de começar a partida, o comandante koreano dizia que sua equipe iria ao ataque e que não jogaria na retranca.

O que vimos, foi exatamente o contrário, principalmente na primeira etapa.

Somente o tal do Rooney da Coréia que ficava a frente da linha da bola, os outros nove jogadores criaram um congestionamento em seu campo de defesa, que dificultou, e muito, para o Brasil.

Robinho, o mais inspirado da seleção brasileira, foi o único a arriscar algumas jogadas. Kaká e Luis Fabiano parecem que ainda não estão 100% recuperados de suas respectivas lesões. Os dois jogadores apresentaram um futebol muito à quem do que os brasileiros esperam.

Começou o segundo tempo e o gol que custou a sair antes do intervalo, foi rápido na etapa final. Maicon, sem querer, enganou o goleiro e fez o primeiro do Brasil na Copa de 2010.

Com 1 a 0 no marcador, todo aquele peso da estreia parece ter dado uma aliviada. Depois do passe açucarado de Robinho, o jogador mais regular da seleção na era Dunga, Elano, com classe, colocou no canto. O 2 a 0 dava indícios de goleada.

Até o zagueiro Lúcio se lançou ao ataque. Porém, a bola não entrou.

Quando tudo parecia decidido, a Koréia do Norte diminui, no seu primeiro chute efetivo ao gol de Júlio César. 2 a 1.

De fato o placar não representa o que foi o jogo. O Brasil foi claramente superior, teve o controle durante todos os 90 minutos de bola rolando. No entanto, faltou inteligência para furar o bloqueio koreano e aplicar um placar mais elástico.

O mais importante foi somar três pontos e garantir a primeira colocação do grupo G. Já que Costa do Marfim e Portugal não saíram do zero no outro jogo do grupo.

6 de jun de 2010

Agora, só depois da Copa!

Palmeiras e Internacional encerraram a sétima e última rodada antes da Copa no Campeonato Brasileiro. Para o Verdão, trazer um ponto na bagagem foi um bom resultado. Isso pelas circunstâncias da partida. Com o único chute ao gol no primeiro tempo, a equipe do Palestra Itália abriu o placar. Depois disso recuou e pediu para ser pressionado. A consequência foi o gol de empate, que saiu somente na etapa complementar, e que ainda ficou barato, pois o Inter ficou a maior parte do tempo no ataque. Nas poucas vezes que o Palmeiras chegou na frente, o atacante Ewerthon, sozinho, não tinha muito o que fazer. Com 9 pontos o Palmeiras ficou em 10º lugar.

O Corinthians arrancou um empate com o Botafogo no Engenhão que garantiu seu lugar no topo da tabela. O Timão saiu ganhando com um gol de Bruno César, no segundo tempo tomou a virada e no último lance da partida empatou com Paulo André de cabeça. O líder está com 17 pontos.

Na Vila Belmiro o Santos atropelou o Vasco. Mesmo sem Neymar e Robinho no ataque, a equipe de Dorival Júnior fez boa partida e venceu por quatro a zero os cariocas. O Peixe chegou ao G4, com 12 pontos ganhos.

O ex são paulino Hugo assustou o Morumbi, ao marcar a favor do Grêmio. Mas foi apenas um susto mesmo, o Tricolor paulista virou para três a um e com 11 pontos, ficou apenas a duas posições da zona dos quatro melhores classificados. O São Paulo ocupa a 6ª posição.

2 de jun de 2010

Brasil vence fácil o primeiro amistoso

O jogo preparatório do Brasil agora a pouco contra a seleção do Zimbábue, foi mais um treinamento. A fragilidade do adversário não vale como referência para um time que almeja o título mundial.

A própria seleção brasileira entrou em campo com a postura de como estivesse atuando num treino. Não se preocupou em agredir o adversário.

A surpresa foi a entrada de Thiago Silva na zaga titular no lugar de Juan. O destaque negativo foi a contusão do goleiro Júlio César que pediu para sair ainda no primeiro tempo.

Só depois dos quarenta minutos, de bola parada, saiu o primeiro gol. Michel Bastos deu uma pancada no ângulo do goleiro, sem chance de defesa. Um golaço.

Robinho, que fez bela partida, também fez o seu. E assim acabou o primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Luizão substituiu Lucio, Daniel Alves entrou no lugar de Maicon e Kaká deu vaga para Júlio Baptista.

Aliás, o terceiro gol saiu dos pés dos dois últimos citados. Daniel Alves, que para mim não pode ser reserva desse time, tocou para o meia do Roma, que por sua vez, devolveu de letra para o lateral, que achou Elano livre e só teve o trabalho de empurrar para o gol, já sem goleiro, sem nada. Bela jogada no ataque brasileiro.

No decorrer do jogo entrou Grafite e Nilmar no lugar de Luiz Fabiano e Robinho.

Como a bola quase não chegou, os atacantes foram pouco exigidos. Enquanto que a seleção apenas esperou o tempo passar. Ficou tocando a bola de um lado para o outro, não foi pressionado e nem pressionou.